Weby shortcut
Link Facebook
Link Twitter
Youtube

Pesquisadores querem fazer estudo sobre a população de capivaras em Catalão, GO

Data: 09/09/2017
Fonte/Veículo:G1 Goiás
Link direto:https://g1.globo.com/goias/noticia/pesquisadores-querem-fazer-estudo-sobre-a-populacao-de-capivaras-em-catalao-go.ghtml

Pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG) em Catalão, no sudeste de Goiás, pretendem fazer um estudo sobre a população de capivaras da cidade. Os animais são vistos frequentemente na área urbana. O intuito é verificar se a presença dos animais neste ambiente pode causar algum risco tanto para os mamíferos como também para a população.

A capivara pode transmitir doenças como a febre maculosa e a leptospirose. Ainda não há nenhum registro de contágio na cidade, mas a ideia é fazer um trabalho justamente para evitar este tipo de problema.

"Não se sabe quantas capivaras têm, como elas usam a área urbana do município de Catalão, se de fatos elas trazem risco em termo de zoonoses. Nada disso é claro, tudo é especulativo e está sendo discutido em termos de estratégicos de prevenção", disse o pesquisador da UFG Frederico Lemos.

Apesar da situação, também há prejuízos para os animais. "Infelizmente, o a gente nota que algumas pessoas ainda estão tentando pegar esses animais como caça e vale ressaltar que a maioria desses animais em que a gente nota ferimentos são causados pela população", disse o veterinário Diogo Baldrin.

Pesquisadores querem fazer estudo sobre a população de capivaras em Catalão (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Pesquisadores querem fazer estudo sobre a população de capivaras em Catalão (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

De acordo com o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Warley Martins, a corporação é frequentemente acionada para capturar os bichos na área central da cidade.

"Às vezes, uma delas está atropelada ou debilitada, aí sim a gente faz essa captura e entregamos ao órgão competente que é o Cetas. Às vezes pode acontecer de alguma delas desgarrar do bando e adentrar alguma residência", pontua.

Os pesquisadores ainda não sabem quando vão iniciar o estudo. Eles já fizeram um projeto técnico listando todo material que é necessário e nas próximas semanas vão procurar empresas da cidade que possam ajudar a custear a pesquisa.

 

Listar Todas Voltar